O poder da oração

unnamed

(O texto impactante a seguir foi extraído da revista Videira, nº 14, 1989, da Comunidade Evangélica de Goiânia)

A Argentina tem sempre produzido pastores, evangelistas e teólogos da mais alta qualidade. Homens como Luís Palau, Juan Carlos Ortiz, Alberto Mottessi e Samuel Libert têm abençoado o Corpo de Cristo no mundo inteiro. Todos eles prontamente atribuiriam as razões para o seu sucesso à igreja na Argentina.

Entretanto, esta mesma igreja teve a porcentagem mais baixa de crescimento da Igreja de todas as nações da América Latina, com a provável exceção do Uruguai. Até pouco tempo, a igreja média na Argentina tinha menos que 100 membros. A falta de crescimento tem sido um enigma para os peritos, especialmente levando em consideração que é uma igreja capacitada em produzir líderes internacionais de alta qualidade mas que de alguma forma não consegue transformar esta capacidade em crescimento das igrejas locais.

Ultimamente, isto tudo tem mudado. Dr. C. Peter Wagner tem afirmado que a Argentina, juntamente com a China continental, é o grande destaque do crescimento da igreja no mundo hoje. Nenhum dado sólido está disponível, mas seria seguro afirmar que 3.000 pessoas por dia fazem um compromisso público com Cristo naquele país. Alguns dizem que esse número chega a 8.000. Igrejas que tinham 50 membros têm crescido ao ponto de terem 2.000. Várias igrejas têm mais de 10.000 pessoas. Existe também o que Wagner chama de uma igreja centrífuga. Os ministros vão às pessoas através de reuniões que se realizam em mais de cinquenta locais diferentes ao invés de esperarem que as pessoas venham para um único lugar. A igreja centrífuga ministra a mais de 145.000 pessoas. Hector Jimenez, um pregador leigo, conseguiu fundar uma igreja de 20.000 membros no centro de Buenos Aires em menos de seis meses.

CarIos Annancondia, o principal evangelista leigo da Argentina, tem levado mais de um milhão de pessoas a se decidirem por Cristo em menos de quatro anos. Entretanto, ele não é o único. Há pelo menos uma dúzia de evangelistas e centenas de pregadores mais jovens com o mesmo grau de zelo que estão pregando eficientemente em cada canto da nação.

A igreja na Argentina tem crescido mais nos últimos quatro anos do que nos cem anteriores. Norberto Carlini, pastor da maior congregação em Rosário, teve que mudar sua congregação para fora do prédio para um campo aberto em antecipação ao crescimento. Em menos de um ano, a igreja cresceu de várias centenas para quase 5.000. Pastor Scataglini, na cidade de La Plata, costumava ministrar para 400 pessoas por mês. Quando o avivamento irrompeu, este número saltou para 14.000 no primeiro ano e para 23.000 no segundo. E esperam mais crescimento no terceiro ano.

Muitas igrejas estão mudando de prédios convencionais que foram projetados para conterem algumas centenas no máximo, para ginásios de esportes, campos abertos e centros de convenções. Não é raro encontrar “igrejas-caseiras” reunindo-se em quintais com trezentos a quatrocentos membros sob a liderança de um pastor com menos de vinte anos, ou alguém com um pouco mais de vinte anos que tem apenas três anos ou menos de conversão.

A Igreja Batista no centro de Buenos Aires, sob a liderança do Pastor Deiros, cresceu 43% em 1986 e 65% no primeiro semestre de 1987. Outras igrejas estão crescendo tão rápido que não há dados disponíveis porque mudam drasticamente de semana para semana.

Pastor Regge, em Olivos, uma comunidade rica ao norte de Buenos Aires, lidera uma congregação estimada em 70.000 membros. Quando lhe perguntam quantos membros ele tem atualmente, ele sacode os ombros e diz: “É difícil dizer. Uma das nossas filiais que é liderada por uma ex-freira tem mais de 6.000 pessoas”. E isto é apenas uma filial! Se a Igreja na Argentina for capaz de incorporar este dilúvio de convertidos, Argentina será o primeiro país da América Latina a ter uma maioria evangélica.

QUAL É A CAUSA?

Isto é uma mudança bem grande do crescimento estagnado de apenas cinco anos atrás. Qual é a razão atrás desta explosão? Há uma combinação de fatores. A unidade do Corpo de Cristo é parcialmente devido ao estabelecimento do A.C.I.E.R.A., uma organização que reúne a maioria das denominações na Argentina. O surgimento da Federação Pentecostal da Argentina tem dado às igrejas pentecostais uma unidade visível e a capacidade para aumentar os recursos. O ministério do clube dos “700” e sua cooperação com as igrejas locais em toda a Argentina, sem dúvida tem ajudado. A pregação agressiva de Jimmy Swaggert tem aumentado os resultados.

Tenho certeza que há muitos outros fatores, mas eu gostaria de destacar o que os líderes principais consideram como o fator mais importante: a oração. A Igreja na Argentina tem aprendido a orar.

Não é raro as igrejas terem vigílias, especialmente nas vésperas de um feriado nacional. Eu visitei uma destas vigílias assistida por 13.000 pessoas! Muitas igrejas têm o costume de ter reuniões de oração que começam na sexta à noite e vão até domingo de manhã.

A igreja do pastor Scataglini em La Plata, onde o avivamento começou em janeiro de 1983, tem reuniões de oração no porão após cada reunião. Centenas de jovens passam a maior parte da noite em oração, e gostam disto tremendamente! O Pastor Sérgio Albarracin, da União Evangélica da Igreja da América do Sul, em San Nicolas abre as portas da sua igreja às 5:00 horas da manhã cada dia da semana para os crentes pararem para um tempo de oração antes do serviço.

Omar Cabrera, pastor da igreja “centrífuga” de 145.000 tem treinado seus membros a carregarem consigo um livro de oração o tempo todo. Quando necessidades de oração surgem, eles as escrevem nos seus livros e oram por elas até que o Senhor responda. Pastor Guilherme Prein, líder de uma congregação em Buenos Aires que está crescendo rapidamente, me disse: “Se eu chamo as pessoas para uma reunião para tratar de negócios da igreja ou para ensino, algumas vêm. Mas se eu as convido para uma reunião de oração, todas elas vêm!”

Carlos Annancondia, que leva uma média de 1.000 pessoas por dia a um compromisso público a Cristo, tem organizado seu ministério de cruzadas em torno de quatro “momentos” de oração. Primeiro ele prega para os incrédulos e termina com um momento rico de oração para e com os novos convertidos. As pessoas vão embora com a certeza de que têm falado com Deus. Depois de um intervalo musical vem um momento de oração de guerra espiritual no qual Carlos ora pelos endemoninhados. Enquanto ele ora centenas, às vezes até mil pessoas, caem sob opressão demoníaca. São levadas pelos colaboradores para uma tenda enorme atrás do seu palanque chamada “Unidade de Tratamento Intensivo” onde recebem ministração através de oração por várias horas até que a libertação chegue.

Depois de outro intervalo, ele ora pelos doentes. Finalmente, ele ora por todos que queiram ser cheios do Espírito Santo através da imposição das mãos. Eu tenho calculado que das duas horas que Carlos passa no palanque ministrando, mais de uma hora é gasta em oração. Debaixo do palanque ele tem uma “brigada de oração” de aproximadamente cinquenta pessoas que durante toda a reunião (às vezes até 7 horas) estão orando ajoelhadas.

Hector Jimenez, o leigo que lidera a maior igreja no centro de Buenos Aires, tem construído seu ministério em torno de oração. As pessoas vão para suas reuniões para orar e receber oração. O momento de oração é o ponto alto da reunião. Omar Cabrera regularmente ensina seu povo a começar orando quando chegam nas reuniões. Eu assisti uma dessas reuniões onde havia 24.000 lotando um estádio de futebol. Foi inspirador ver a maioria das pessoas tomando posse espiritual do estádio à medida que chegavam.

A Igreja Batista em Adroque, sob a liderança de Eduardo Lorenzo, guarda registros de todas as respostas de oração num “livro de milagres”. A igreja de Samuel Libert em Rosário, outra Igreja Batista, é conhecida pela sua ênfase em oração e a vida do Corpo. Quando eles se encontram socialmente, é costume terminar o tempo juntos à noite com um período de oração.

E quando chega o momento de oração, não é apenas os adultos que oram mas as crianças também. Um dos quadros mais emocionantes que eu tenho da Argentina é ver crianças, às vezes de apenas 6 anos de idade, orando ajoelhadas.

GUERRA ESPIRITUAL OUSADA

Todo tipo de oração é feito na Argentina, mas a oração mais singular é no contexto de guerra espiritual. Os cristãos parecem ter dois focos em suas orações: Deus, a quem eles atribuem toda honra e louvor; e Satanás, a quem eles repreendem ousada e agressivamente.

Os crentes acreditam que a oração tem um papel ativo e vital no plano redentor de Deus. Eles afirmam que sem as orações da igreja Deus não retomará o território invadido por Satanás. Eles são prestes em ressaltar que cada versículo da Bíblia que trata com oração mostra que a ação começa aqui na terra. Temos que pedir para que ele responda. Temos que bater para que ele abra. Temos que ligar e desligar para que o céu faça o mesmo. A ação na terra não somente precede mas até certo ponto determina a resposta no céu. Quando se trata de pregar o evangelho, é responsabilidade da igreja expulsar os demônios, curar os enfermos e pisar todo poder do inimigo.

Esta atitude torna a oração excitante. Quando as pessoas oram elas esperam que algo aconteça. Enfrentam o inimigo e o amarram. Depois elas prosseguem e despojam o seu acampamento.

Omar Cabrera, considerado por alguns como o deão de evangelismo de poder na Argentina, frequentemente se enclausura num quarto de hotel para 5 ou 7 dias de oração agressiva antes de conquistar uma nova cidade. Durante aquele tempo ele ora para amarrar o homem forte, ou o príncipe, que controla as trevas daquele “cosmos” específico. Uma vez que ele sente que isto aconteceu, ele sai para o público anunciando às pessoas que agora elas estão livres para vir a Cristo. Como prisioneiros libertos de uma masmorra, milhares literalmente correm para entregar seus corações a Cristo.

Carlos Annancondia começa suas cruzadas mostrando aos Pastores como tomar posse da área. À noite, antes de iniciar uma cruzada, todos os obreiros participam de uma reunião de oração tão intensa que nos faz lembrar de Josué e o povo marchando ao redor de Jericó. Quando Annancondia foi para a cidade de Cordoba, o centro mais sofisticado da Argentina, muitos prognosticaram que ele falharia. A tática de Carlos deu certo novamente. 85.000 pessoas fizeram um compromisso com Cristo em dois meses!

Floro Oliveira, pastor de uma igreja dos Irmãos em San Justo, um subúrbio de Buenos Aires, decidiu juntamente com seus presbíteros colocar uma parte específica de sua cidade sob autoridade espiritual. Em um tempo muito curto eles viram conversões em massa ocorrendo naquela área. Hoje eles mudaram do prédio da igreja para o quintal de uma escola vizinha, devido ao crescimento dramático do número de membros.

Eduardo Lorenzo e seus colegas líderes na Igreja Batista de Adroque têm batalhado com o príncipe das trevas que controla a região inteira onde a igreja se encontra. Já começaram a ver resultados dramáticos não somente em sua própria igreja mas no resto da região também.

O raciocínio atrás desta estratégia está na suposição de que o poder de Deus é de alguma forma limitado pelo caráter moral de Deus. Quando Deus criou o mundo, ele o confiou a Adão, que por sua vez o perdeu para Satanás. Neste ponto no tempo Satanás se tornou o deus deste mundo, e os reinos deste mundo e sua glória se tornaram a sua possessão. Ainda que Deus pudesse retomar o mundo facilmente, seu poder é limitado pela lei moral. Satanás poderia acusar Deus de transgressão se ele fosse intervir diretamente.

Desde que o governo da terra foi perdido por Adão, um homem, somente um outro homem poderia recuperá-lo. Mas porque todos os homens pecaram, automaticamente estão sob o domínio de Satanás. Todavia, Deus resolveu o problema através da encarnação de Cristo. Através de ser concebido pelo Espírito Santo, ele é divino e o maligno não tem nenhum direito sobre ele. Através de nascer da virgem Maria ele é um membro legítimo da raça humana.

E por esse motivo – assim prossegue o raciocínio – que, quando Jesus derrotou Satanás, primeiro no deserto e mais tarde no Calvário e ao ressuscitar como o segundo Adão, ele pôde tirar de Satanás, num sentido potencial, tudo que Satanás tinha roubado no primeiro Adão. Toda vez que a igreja (como representante do segundo Adão) ora, ela supre a justificativa legal e moral para Deus liberar o seu poder. E é por isso que as orações dos santos são tão importantes.

Concordando ou não com este raciocínio, temos que admitir que isto torna a oração um exercício emocionante. Torna o crente não apenas um participante mas também um colaborador na execução da Grande Comissão. E quando se trata de oração, a diferença é tão grande quanto a satisfação encontrada em nadar no oceano ao invés de numa banheira. Através de alargar os perímetros e permitir correntezas não conhecidas influenciaram o nadador, a oração se torna excitante.

Através de ver milhares saindo das trevas em resposta à oração, a fé é fortalecida. Através de testemunhar milagres imediatamente após uma reunião de oração, a Palavra de Deus é validada juntamente com as promessas que ela contém. Depois de um tempo, as pessoas naturalmente gravitam à oração, pela mesma razão que as plantas seguem o sol: porque do sol recebem o benefício do seu poder e grandeza.

Cevide

View more posts from this author

Compartilhe em sua rede social, blog ou site

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *