Considera o sofrimento (1)

Sofrimento na natureza – A criação geme e está com dores de parto (Rm 8.22). Há um sofrimento nos reinos naturais, até que chegue o dia da libertação dos filhos de Deus. Todos sabemos o que acontece de mal com os animais e vegetais, e como a terra sofre com seus recursos em esgotamento. Quando a criação “der à luz”, então virá o que esperamos: o fim de todas as dores e o surgimento de um novo dia. A própria criação será restaurada completamente.
Sofrimento de Jesus Cristo – “Todavia, ao Senhor agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias; e o bom prazer do Senhor prosperará na sua mão. Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos; porque as iniquidades deles levará sobre si” (Is 53.10,11). Deus deseja refazer sua imagem em muitos! “Somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor”, (2Co 3.18). Pelo sofrimento de Jesus há restauração!
Sofrimento humano – “mas nós (…) também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo”, (Rm 8.23). Todo sofrimento tem o seu fim. Contudo, para os que esperam no Senhor é possível receber nesta vida os benefícios de todo sofrimento! É possível que as coisas melhorem e voltem aos seus devidos lugares.
Considera o sofrimento.
Isac Rodrigues

Cevide

View more posts from this author

Compartilhe em sua rede social, blog ou site

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *