Aguarde...

Ben-Hur - a conversão de um ateu

benhur

De um antigo exemplar da revista portuguesa Novas de Alegria, um texto edificador:

(Autor de “Ben-Hur”)

Com certeza, todos conhecem o famoso livro “Ben-Hur” que o cinema, rádio e televisão têm divulgado por quase todo o mundo. O que talvez ignore são as circunstâncias em que a referida obra foi escrita e o motivo que levou o autor, Lewis Wallace, a fazê-lo. Um amigo pessoal do autor escreveu o que segue.

Acabei eu de terminar a leitura de “Ben-Hur” (o livro estava ainda so-bre a mesa) quando o autor, Lewis Wallace, entrou em minha casa. “A leitu-ra desse livro fez-me muito bem”, disse eu; “tenciono lê-lo mais vezes”.

Wallace demonstrou certa satisfação com o meu entusiasmo, e eu lembrei-me de lhe perguntar quem o inspirara a escrever um livro tão em-polgante. Após alguns instantes de reflexão respondeu-me: “Já que estás interessado em saber, vou relatar-te com foi”. Ajeitando-se melhor à cadei-ra, disse o seguinte: Eu era conhecido como um ateu inveterado, tendo renegado completamente o Cristianismo. Robert Ingersol (conhecido ateu muito ativo em espalhar a doutrina do ateísmo) era um dos meus amigos íntimos. Acabara de pedir a minha demissão de governador do Estado de Arizona, e dirigi-me para o leste do país em sua companhia. O trem aproxi-mava-se da cidade St. Louis, e observamos grande número de igrejas com as respectivas torres. “Não é estranho”, exclamou Ingersol, “que pessoas inte-ligentes e de projeção continuem a acreditar nas doutrinas insensatas que se ensinam nas igrejas? Quando compreenderão que os ensinamentos da Bíblia não passam de mitos?”

Continuamos a discorrer durante algum tempo sobre o assunto. Re-pentinamente Ingersol disse-me: “Wallace, tu és um erudito e um pensador; por que não reúne documentos para escrever um livro que prove a falsidade das doutrinas de Jesus Cristo, bem como o erro de crer que semelhante personagem tenha existido? Uma tal obra te asseguraria fama mundial. Seria uma obra-prima e o único meio de pôr fim a esta quimera e a tudo o que diz respeito ao suposto Cristo e Salvador do mundo”. A proposta insis-tente de Ingersol causou profunda impressão no meu espírito, e pusemo-nos a discutir sobre o alcance de um livro dessa natureza. Ao separar-nos assegurei ao meu amigo que iniciaria, imediatamente, os preparativos para escrever uma obra que seria o meu melhor livro e a coroação dos meus esforços como escritor.

Cheguei a Indianópolis, onde morava, e contei o meu novo projeto à minha mulher. Ela era membro da Igreja Metodista, e como é natural, a minha resolução entristeceu-a profundamente. Eu estava decidido a cum-prir o que prometera, e comecei a juntar todos os documentos que encontrei nas melhores bibliotecas da América e Europa. Recolhi todos os dados que me foi possível e os documentos que pudessem esclarecer os fatos da época em que Jesus viveu.

Vários anos se passaram assim, e quando tinha entre as mãos todos os elementos necessários, principiei a escrever o trabalho. Estava no quarto capítulo quando a convicção de que Jesus Cristo era uma personalidade tão real como Sócrates, Platão, Júlio César e outros homens da Antigüidade. Esta convicção se tornou em certeza. Eu tive de reconhecer que Jesus Cristo viveu na terra e os fatos históricos desse período não faziam senão corro-borar a minha certeza.

Sentia-me numa posição falsa. Com efeito, não principiara eu a es-crever um livro cujo único fim era demonstrar que Jesus jamais existira? E agora, diante dos fatos, era forçado a reconhecer que a Sua existência ter-rena fora tão real como Júlio César, Marco Antônio, Virgílio ou Dante. Uma outra pergunta começava a atormentar-me: “Se Jesus tinha de fato vivido (e não podia haver dúvidas a esse respeito), não seria Ele também o Filho de Deus e o Salvador do mundo?” Essa convicção tornou-se pouco a pouco uma realidade na minha alma e eu cri firmemente que Jesus era não só uma pessoa viva, como também o que Ele próprio declarara: o Filho de Deus.

Certa noite ficou inesquecível na minha vida, caí de joelhos e, pela primeira vez na vida, pedia a Deus que se revelasse a mim, perdoasse os meus pecados e me ajudasse a tornar um dos seus fiéis servidores. Pela manhã fez-se luz no meu espírito. Entrei no quarto da minha mulher, acor-dei-a e anunciei-lhe que recebera Jesus como meu Salvador. Quando ela ouviu o que lhe disse, o seu rosto se iluminou de alegria. Ela exclamou: “Ó, Lewis, desde o dia em que me comunicaste a intenção de escrever tal livro, não cessei de orar para que Deus te revelasse a verdade”.

Ajoelhamo-nos junto do leito àquela hora matinal e agradecemos a Deus pela Sua misericórdia e pelo caminho maravilhoso por onde me tinha conduzido. Não creio que possa existir alegria maior no céu do que a que experimentamos naquela manhã quando nos sentimos unidos na comu-nhão de Cristo.

Perguntei em seguida à minha mulher: “Que farei agora a todos estes documentos que reuni com tanto esforço, sacrifício e à custa de tanto di-nheiro?” Ela respondeu: “Escreve de novo os quatro capítulos e prossegue até acabares o livro, demonstrando ao mundo que, após as tuas buscas e experiência pessoal concluíste que Jesus Cristo é de fato o que Ele asseve-rou ser: o Filho de Deus, o Salvador do mundo!” (Novas de Alegria).


Envie seu comentário

Você preencheu os seguintes dados:

Ao enviar estes dados, você concorda em fornecê-los ao site. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Ouça agora nossa Rádio!


Receba artigos em seu email!

Você preencheu os seguintes dados:

Ao enviar estes dados, você concorda em fornecê-los ao site. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Mais Postagens

A jornada do povo de Deus

01 de Agosto de 2022

O Totem da Paz

06 de Julho de 2022

A família

14 de Maio de 2022

A colheita

06 de Maio de 2022

Calendário 2022

04 de Janeiro de 2022

Pobres e necessitados

01 de Julho de 2020

Poderoso Fundamento

23 de Janeiro de 2020

Ele quer ficar conosco...

18 de Janeiro de 2020

Feliz 2020!

01 de Janeiro de 2020

Jesus nasceu

24 de Dezembro de 2019

Depoimentos - II

20 de Dezembro de 2019

Dormindo sobre uma almofada

23 de Novembro de 2019

Depoimentos - I

15 de Novembro de 2019

Um ao outro ajudou

01 de Novembro de 2019

O dia das coisas pequenas

23 de Outubro de 2019

Curso O Caminho da Vida

18 de Outubro de 2019

Desfrutando do Esconderijo

08 de Agosto de 2019

Maria nos dá o exemplo

30 de Julho de 2019

E com ele cearei

24 de Julho de 2019

Jesus começou pequeno

27 de Abril de 2019

Timóteo (1Tm 4)

09 de Abril de 2019

A filosofia do anzol

29 de Março de 2019

Águas vivas de renovação

21 de Março de 2019

Um par de sandálias usadas

26 de Fevereiro de 2019

Os príncipes do meu povo

13 de Fevereiro de 2019

Os Pilares da Criação

02 de Fevereiro de 2019


Procure no Site

Busque por textos de um mês específico ou que contenham um determinado termo