Por que fazemos o que fazemos

justiça

(Reflexão)

O que fazemos alegra a alguém? O que fazemos instrui ou educa? O que fazemos ajuda no crescimento de alguém em sua fé? Quando anunciamos a Palavra incutimos fé nas pessoas, ou elas se afastam de nós por causa de palavras levianas? Alguém está tendo proveito de nós? Alguém se salva através de nós?

Olha, no que resulta para as nossas vidas em Deus as palavras de Jesus! Que palavras bobas ou ferinas ele pronunciou? Ele apenas pronunciou, sem delongas, e sem aparatos de retórica, a verdade nua e crua, como é, como seta certeira. Somente aos tolos e incrédulos elas não serviram; pois acharam loucura o que disse, e comichões nos ouvidos foram o seu desconforto. A sua injustiça os deixou mais injustos ainda.

O que fazemos, em nossa missão, pode não agradar a muitos. Os que nos ouvem podem odiar-nos, pois não têm como discernir em seus corações o certo daquilo que chamam de errado, que é bem aquilo que chamam mal, pois em sua natureza pecaminosa, e perdida, não podem dizer, nem nesta vida, e nem na eternidade infernal, que o certo seja certo. Estarão na morte eterna dizendo que o certo é errado, que o bem é de fato o mal. Que a vida, a salvação, Deus, Jesus, a cruz, tudo é loucura. E não se arrependerão disto.

Por que fazemos o que fazemos para agradar ao Senhor e alcançarmos os demais? Pelo alcance da graça. Foi escolha de Deus. Um lance de muito, muito amor. Enfim, façamos, todos, o que agrada e dignifiquemos a Verdade, que trará liberdade e vida.

Isac Rodrigues

Cevide

View more posts from this author

Compartilhe em sua rede social, blog ou site

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *