O encontro com a noiva

noiva

“E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida”, Ap 22.17.

A Palavra de Deus aponta símbolos dos quais a Igreja de Jesus Cristo é comparada. Vejamos: a) Corpo, Ef 1.22,23 e Cl 1.18; b) Templo, 1Co 3.16,17; c) Família, Jo 1.12 e 2Co 6.18; d) Noiva, 2Co 11.2 diz: “apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo”. Em Ef 5.25, Cristo amou a Igreja, e a si mesmo se entregou por ela.

“Quem é esta que sobe do deserto, como colunas de fumaça, perfumada de mirra, de incenso, e de todos os pós dos mercadores?”, Ct 3.6. É a Igreja! Ela pode exclamar ao noivo: “Leva-me tu; correremos após ti. O rei me introduziu nas suas câmaras; em ti nos regozijaremos e nos alegraremos; do teu amor nos lembraremos”, Ct 1.4. Naquele dia ela poderá dizer também: “Levou-me à casa do banquete, e o seu estandarte sobre mim era o amor”, Ct 2.4!

O encontro da Igreja com Cristo será o maior encontro! Assim como ocorreu com Rebeca ao ver Isaque: “E disse ao servo: Quem é aquele homem que vem pelo campo ao nosso encontro? E o servo disse: Este é meu senhor. Então tomou ela o véu e cobriu-se”, Gn 24.65. Naquele dia veremos o Senhor face a face: “Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos”, 1Jo 3.2.

No Arrebatamento da Igreja, Jesus virá em pessoa, na sua segunda vinda – “aparecerá segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação”, Hb 9.28. O Antigo Testamento fala muito da sua vinda. Jesus mesmo falou muito de sua volta. Os apóstolos também falaram. Os sinais de sua vinda é que declaram que ele vem cedo. Descerá às nuvens, onde encontrará a Igreja, para recompensá-la e dar-lhe galardão. Após, Jesus entra com ela no céu, lugar que preparou (muitas moradas, Jo 14.1,3). A noiva olhará o rosto de Jesus, 1Jo 3.2. Jesus a apresentará ao Pai, porque diz: “Aquele que vencer… confessarei o seu nome diante do meu Pai”, Ap 3.5. “Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar, e apresentar-vos irrepreensíveis, com alegria, perante a sua glória, ao único Deus sábio”, Jd 24,25. O Pai se alegrará e verá na noiva o seu particular tesouro, Ml 3.17. Em seguida, será levada para o banquete das Bodas do Cordeiro, porque ela “se aprontou”, Ap 19.7, e daí foi chamada de esposa, Ap 21.9. Por fim ela cantará “um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue nos compraste para Deus de toda a tribo, e língua, e povo, e nação; e para o nosso Deus nos fizeste reis e sacerdotes; e reinaremos sobre a terra”, Ap 5.9,10.

Estamos preparados para esse tão glorioso dia? Podemos ver o quanto ela chama ao arrependimento: “E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida”, Ap 22.17.

Deus o abençoe ricamente.

Isac Rodrigues

Cevide

View more posts from this author

Compartilhe em sua rede social, blog ou site

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *