O amigo

os-amigos

(Reflexão)

Um amigo diz “Sim”, de coração, quando o seu amigo pede ajuda; ou diz “Não”, quando vê que há perigo. Não esconde nada que não se faça saber, e não diz coisa alguma que possa ofender. Os amigos dão-se as mãos, porque podem confiar. Ou quando um se fere, ou venha a cair, a mão do amigo o socorre. Os amigos confidenciam os seus segredos, e um guarda o segredo do outro. Trocam entre si não só segredos, mas tesouros escondidos, e ambos se enriquecem. Um acode o outro na necessidade; e o acudido vai, na maior das certezas, fazer o mesmo em seu próprio tempo. Um salva o outro do fogo que consome, e o outro socorre-o das águas da turbulência. Há entre eles mil motivos para alegrar o coração; porque um gosta de ouvir o outro e será feliz. Um anima o outro quando o desgosto vem. E o outro sabe muito bem como vencer o seu desgosto. Um tem a ciência de saber ser bom amigo, e outro aprende com a sua sabedoria. Eles planejam juntos coisas importantes, e quão importantes elas serão! Não lhes faltarão admiradores, nem os que os elogiam!, porque sabem que de amigos só saem coisas boas! Enquanto o mundo voga, como que perdido pelo espaço, os amigos correm juntos caminhos planejados. Os amigos são como os poetas, um encanta o outro; só que ao mesmo tempo encantam a todos! Então, desejo aos amigos meus, e seus, muita paz de Deus!

Isac Rodrigues

Cevide

View more posts from this author

Compartilhe em sua rede social, blog ou site

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *