Não ameis o mundo

mundo

Com a chegada do verão nas montanhas Olímpicas no noroeste dos Estados Unidos, toda a neve escoa para os vales e os montes se cobrem das mais variadas espécies de flores, formando um quadro de singular beleza. Na África, um pássaro chamado Alfaiate, faz seu ninho assim: fura com o próprio bico as bordas de duas folhas e costura-as usando um fio fabricado por ele mesmo. Eis aqui apenas dois exemplos do grande álbum ilustrado da natureza!

A raça humana, que faz parte da grande página da criação de Deus, através de um grupo de cientistas, teve a capacidade de mandar para os confins do universo engenhos e máquinas a conquistar planetas e a fazer estudos das distâncias e dos seus componentes. Formou o computador que substituiu de vez os métodos antigos para a solução de muitos problemas, tornando o mundo num mundo cheio de maravilhas.

Quando o apóstolo do amor, João, citou a expressão “Não ameis o mundo”, 1 Jo 2.15, estava conscientizando a Igreja da corruptibilidade reinante nas sociedades perdidas, e de todos os tempos (ver Gl 5.19-21). Isto sim, “Não ameis o mundo” que ofende os princípios de Deus nas questões morais e éticas etc, mas “vos revistais em verdadeira justiça e santidade”, Ef 4.23 para que não sejam aceitas nem a injustiça e nem a licenciosidade no meio do grupo cristão.

Isac Rodrigues

Cevide

View more posts from this author

Compartilhe em sua rede social, blog ou site

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *