É válido sofrer aflições? – mensagem

Certa vez, momentos antes da realização de um culto em nossa congregação numa cidade distante, estávamos conversando no portão de entrada eu e um de nossos irmãos, recém-convertido. Ele era um ex mendigo, morador de rua, e estava então servindo a Deus na nossa igreja. No meio da conversa, perguntei se os mendigos sofriam angústias de alma, ou algum outro tipo de sofrimento abalador, espiritual. Sua resposta foi que, geralmente, os mendigos se sentem bem com a vida que levam; porque ele mesmo não sentia problemas e para ele tudo estava bem.

Por outro lado, entendemos as razões por que alguém tem uma vida desafortunada. Quantas vezes perderam as oportunidades ou menosprezaram bons conselhos. Outros não são culpados pela vida ruim, mas desejam mudar e conseguem. Não querem mais ser afligidos por desgraça alguma!

Aí, você é um cristão sincero, que pratica toda a verdade, sofre! Você faz suas as palavras de Asafe e desabafa: “Pois todo o dia tenho sido afligido, e castigado cada manhã”, Sl 34.14; “A minha carne e o meu coração desfalecem…”, verso 26. Você vê os outros em franca prosperidade! Parece que nada dá errado com eles! “Não se acham em trabalhos como outros homens, nem são afligidos como outros homens”, verso 5. Porquê? “Eles têm mais do que o coração podia desejar”, verso 7; “prosperam no mundo; aumentam em riquezas”, verso 12, e nada lhes falta.

É um disparate! Todavia, você e eu podemos sempre aprender que: as aflições de que Cristo falou não são dos perdidos, e sim, dos cristãos sinceros e salvos. Você acredita nisto? Jesus disse: “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”, João 16.33. Jesus estava avisando os seus seguidores a cerca das aflições. Que todos eles teriam momentos incontidos de perturbações, tribulações, angústias, dores de todo tipo. Que todos eles seriam, de fato, provados severamente.

Que tem passado com você neste momento? Seria o mesmo que eu? Já parou para observar o que passa o próximo? Muitas vezes vejo nos outros o que eu mesmo tenho. Praticamente os mesmos problemas! Preciso saber e com entendimento resolver dificuldades e compreender e ajudar quem está perto. Já tive perdas caras e também perdas de tempo! Muitas vezes presto socorro e não sou socorrido quando preciso. Muitas vezes você socorre e não é socorrido. Você aprende com as aflições e assim aprende a ajudar.

Sempre procuro glorificar a Deus pelas aflições, pois elas me ensinam e elas me dão a palavra certa para o que for preciso. Eu não quero ser afligido, nem você quer. As aflições têm o seu valor. São permitidas pelo Senhor. As aflições têm o seu sólido fundamento. Por elas podemos também nos ajudar mutuamente. Não posso culpar ninguém por aquilo que sofro. Também não quero que me culpem se os outros sofrem. São experiências individuais e exclusivas com objetivos concretos. Decepções, quem não sofreu? Abandono, quem não sofreu? Rejeição, quem não sofreu? Descaso, quem não sofreu? Perdas, quem não sofreu? Você alimentou com amor uma simpatia boa, agradável e não recebeu de volta o que esperou. Sofreu! Na sinceridade de seu coração e na cristandade mais elevada de seu ser para com Deus, todas essas decepções são a sua escola! Todas essas decepções são as lições do Mestre. Você entenderá o sofrimento alheio pelo seu sofrimento. Você entenderá o abandono, a rejeição, o descaso, as perdas dos outros pelo que já sofreu! Daí você encontra remédio em seu Deus e terá o prazer de passar a cura aos aflitos. Você já parou para pensar se é válido sofrer aflições neste mundo? Considera o que as aflições ensinam.

“Muitas são as aflições do justo, mas de todas elas o Senhor o livra”, Salmos 34.19.

Isac

Cevide

View more posts from this author

Compartilhe em sua rede social, blog ou site