Diamante lapidado

diam

(Reflexão)

O teu sorriso… mostra problemas. Não queres falar deles… enquanto outros simplesmente expõem os seus próprios, e não percebem as diferentes reações. Achas melhor não contar nada a ninguém, para evitar complicações. Enquanto achar que navegar sozinho, será melhor.

É notável como um sorriso pode trazer à tona os problemas. Eles transparecem em contornos tristes. Os olhos os declaram. A feição, os lábios, também. Nada poderá esconder o que a espada fere.

Apesar de tudo… não esmoreça. Não seria o martelo divino, e seu cinzel, forjando uma coisa nova? Diamantes brutos são assim processados; bem como caracteres difíceis. Histórias todas, vidas, idem. O limite de tudo, para tudo acabar, está diante dos próprios olhos. Tua convicção é poderosa – que tudo acabará! Veja, tua convicção não é a Dele. Ele tem outra certeza a dar. Receba sua certeza, mesmo que não a espere.

Quando as forças faltarem, faça algo novo: trabalhe com certezas e convicções de Deus! Deixe as tuas de lado! Elas não dizem toda a verdade, podem ser traidoras. Aja pela fé que espera. À sua retaguarda virá junto o que por muito tempo foi-te impossível: um diamante divinamente lapidado, e veja o valor que deu!

Isac Rodrigues

Cevide

View more posts from this author

Compartilhe em sua rede social, blog ou site

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *