O caminho da contramão dos imitadores de Jesus

“Em verdade vos digo que um de vós me há de trair” (Mt 26.21). “Eis que é chegado o que me trai” (26.46). “Então, aproximando-se eles, lançaram mão de Jesus, e o prenderam” (26.50). “Então, todos os discípulos, deixando-o, fugiram” (26.56). “Ora, os príncipes dos sacerdotes, e os anciãos, e todo o conselho, buscavam falso testemunho contra Jesus, para poderem dar-lhe a morte” (26.59). “E eles, respondendo, disseram: É réu de morte” (26.66,67). “Então cuspiram-lhe no rosto e lhe davam punhadas, e outros o esbofeteavam” (26.57). “E, chegando a manhã, todos os príncipes dos sacerdotes, e os anciãos do povo, formavam juntamente conselho contra Jesus, para o matarem” (Mt 27.1). “Porque sabia que por inveja o haviam entregado” (27.18). “Mas os príncipes dos sacerdotes e os anciãos persuadiram à multidão que pedisse Barrabás e matasse Jesus” (27.20). “Disse-lhes Pilatos: Que farei então de Jesus, chamado Cristo? Disseram-lhe todos: Seja crucificado” (27.22). “E, cuspindo nele, tiraram-lhe a cana, e batiam-lhe com ela na cabeça. E, depois de o haverem escarnecido, tiraram-lhe a capa, vestiram-lhe as suas vestes e o levaram para ser crucificado” (27.30-31).

Citando apenas Mt 26 e 27, saiba o que farão de você se desejar ser como Jesus. É de pensar. Não espere dos homens as suas recompensas. Eles não o glorificarão. Quererão vê-lo sofrendo e perdendo. Este é o caminho da contramão dos imitadores de Jesus.

Isac Rodrigues