Abraçado pelo teu amor

Quando a tua Palavra diz que “Não há um justo, nem um sequer” (Rm 3.10), eu era um deles. Quando a tua Palavra diz que “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Rm 3.23), eu estava entre eles, embora tenha te encontrado em tenra idade. Infeliz, era o que eu era até então. Precisaste dizer que me amava, bem no momento em que brincava no chão de nosso velho galpão. Ali eu vi quem era o Senhor. Quando a tua Palavra diz “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei” (Mt 11.28), eu fui a ti. Quando a tua Palavra diz que “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16), eu desejei receber o Filho e ter vida eterna. Tudo isto aliviou minha consciência, e a esperança passou a ser minha companheira.

Em uma nova esperança, outras coisas muito importantes aconteceram também. Quando a tua Palavra diz: “Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens” (Mt 4.19), segui-te para realizar um serviço de salvação de outros que tinham lutas espirituais como eu. Descobri que em muito disto era necessário sofrimento, renúncia, dor, vales escuros, abandonos, incompreensões. Assustaram-me um pouco, pois no princípio achei que a salvação e o serviço a Deus eram somente gozo e felicidade.

Esta é a razão por que preciso de socorro a cada dia, pois não posso viver e nem nada fazer sem ser abraçado pelo teu amor.

Isac Rodrigues